about_page_img

NUTRIÇÃO ESPORTIVA


A Nutrição Esportiva faz o acompanhamento nutricional de atletas, desportistas ou equipes esportivas visando melhorar a performance. Além disso, o profissional pode ajudar no emagrecimento, aumento de massa magra ou diminuição do percentual de gordura.

Para que os atletas possam extrair o máximo de seu desempenho físico na prática de esporte e em competições, a alimentação deve estar relacionada ao tipo de esporte, intensidade e duração da atividade. Deve ser considerado também a composição corporal e o gasto energético do esporte praticado, por isso a dieta deve ser sempre individual e personalizada.

Como posso ajudar?

As dietas são elaboradas de acordo com a modalidade, intensidade e duração do treinamento. O ponto alto do trabalho do profissional é ajudar a atingir os objetivos almejados, sejam eles de emagrecimento, ganho de massa muscular ou performance. O nutricionista também orienta sobre os hábitos alimentares a serem praticados antes, durante e após o exercício ou treino.

 

A importância da nutrição para o atleta e praticante de atividade física
Pessoas que praticam atividades físicas apresentam uma necessidade energética e nutricional específica, em função do desgaste físico e do maior gasto de energia durante a atividade. A nutrição constitui o alicerce para o desempenho físico, sendo muito importante para a saúde geral do atleta. Uma vez que os depósitos de energia são otimizados, é reduzido simultaneamente o tempo de sua recuperação de lesões, mesmo que o atleta treine por mais tempo.

O carboidrato é a fonte de energia mais rápida. O organismo mantém estoques limitados desse nutriente, por isso é preciso ficar atento ao seu consumo. Para aqueles que desejam emagrecer, não são necessários, nem indicadas dietas radicais, excluindo esse ou qualquer outro nutriente. Aproximadamente 1 hora antes dos exercícios recomenda-se consumir pelo menos uma fonte de carboidrato. É ele que fornece a energia que você precisa para gastar no treino. Após o treino ele serve para repor os estoques no organismo, recuperando também os músculos. Quanto à proteína é preciso ter cautela, ao contrário do que muitos imaginam. O consumo deve ser na medida certa. Somente alguns necessitam de um consumo maior, mas essa análise somente deve ser feita por um nutricionista e de forma presencial.

Para que haja um aumento na massa muscular é preciso ingerir quantidades adequadas de proteína e carboidrato. O consumo insuficiente de carboidrato, por exemplo, faz com que a proteína, que deveria ser usada para o aumento de massa muscular, seja usada como fonte energética. Os alimentos fontes de proteínas (leite, iogurtes, queijos, carnes, ovos e feijões) não devem ser consumidos muito próximos do início das atividades físicas. Em geral, esses alimentos possuem digestão mais lenta e podem atrapalhar o rendimento.

Outro nutriente importante são os lipídeos que também tem função energética. Através deles que é possível conseguir as vitaminas lipossolúveis, A,D, E e K. E assim como os alimentos fontes de proteínas, os alimentos que contém gorduras, (por terem a digestão mais lenta), também não devem ser consumidos próximos aos horários dos exercícios. A hidratação também é muito importante, pois assegura o equilíbrio hidroeletrolítico, podendo garantir ainda a performance e reduzir os riscos associados à desidratação. O hábito de ingerir líquidos antes, durante e após a atividade física deve ser introduzido e estimulado durante o treinamento.

O ótimo desempenho do praticante de atividade física e atleta dependente do seu treinamento e, principalmente, da sua alimentação. O treino deve ser bem planejado e a alimentação deve conter quantidades adequadas e equilibradas das substâncias que o corpo precisa. Assim é possível suprir os nutrientes necessários para um bom funcionamento do organismo.